Sindjus-MA pede que servidores mobilizem-se contra reforma da Previdência Social

8/02/2018 | 11:11 - matéria visualizada 614 vezes
Diretores do Sindjus-MA em conversa com servidores do Fórum Calhau sobre a necessidade de barrar a Reforma da Previdência
Diretores do Sindjus-MA iniciaram na manhã desta quarta-feira (7) uma série de visitas às unidades judiciais de São Luís para discutir com os servidores do Poder Judiciário a importância de pressionar deputados federais maranhenses a votarem contra a Reforma da Previdência (PEC 287). O vice-presidente do Sindicato, George Ferreira, e o diretor de Assuntos Jurídicos, Artur Estevam Filho, foram ao Fórum do Calhau, em São Luís, onde distribuíram panfletos com esclarecimentos a respeito de quais direitos estão em jogo com a PEC 287, que deve entrar na pauta para votação no Plenário da Câmara Federal no próximo dia 20. Já o presidente do Sindjus-MA, Aníbal Lins, esteve em diversos juizados da Capital, na quarta; e, nesta quinta (8), foi à Corregedoria Geral de Justiça, Escola de Magistratura, Centro Administrativo e à sede do Tribunal de Justiça do Maranhão.  Ele os convidou os servidores a pedir apoio contra a Reforma enviando e-mails aos deputados federais maranhenses. O informativo impresso também será enviado a partir desta quinta-feira (8) para as Comarcas do interior do Estado.

“É importante que o servidor leia o material informativo que estamos entregando, porque ele esclarece as razões de sermos contrários a essa Reforma. Vamos enviar mensagens aos deputados federais, por e-mail, ou pelas redes sociais, e pedir apoio para que a PEC 287 não seja aprovada na Câmara”, conclamou o presidente do Sindjus-MA, Aníbal Lins.



O panfleto, criado pela Federação Nacional do Judiciário nos Estados (Fenajud), contém informações que rebatem cinco mentiras contadas pela propaganda do Governo Federal no intuito de conseguir opinião pública favorável à Reforma. Entre elas, a de que a Reforma implicará em mais recursos para Educação, Saúde e Segurança, quando se sabe que os investimentos nessas áreas estão congelados por 20 anos, conforme determina a Emenda Constitucional 95, aprovada logo no início do Governo Temer, ainda em dezembro de 2016. Outra grande mentira é que existe um rombo na Previdência e que sem a Reforma “o Brasil vai quebrar”.

“Ao contrário do que a propaganda do Governo diz, a Reforma não corta privilégios, como as aposentadorias dos parlamentares, ela ataca somente os trabalhadores, principalmente, as mulheres e trabalhadores rurais que terão de trabalhar mais e ganhar menos, enquanto bancos e grandes empresas devem centenas milhões e não são cobrados. Não é justo o trabalhador pagar essa conta”, afirmou o vice-presidente do Sindjus-MA, George Ferreira.
Em outubro passado, o senador Hélio José (Pros-DF) apresentou seu relatório final para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou a contabilidade e o desvio de recursos da Previdência Social.  O texto possui 253 páginas e aponta erros na proposta apresentada pelo Governo. O senador defende que a Previdência Social não é deficitária e demonstra que as empresas privadas devem R$ 450 bilhões à Previdência.



Pressão popular

A ação do Sindjus-MA faz parte de uma campanha nacional do movimento sindical. A convocação do Sindjus-MA partiu da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados (Fenajud), da qual o Sindicato é filiado, e também de Centrais Sindicais, como Central do Servidores Públicos do Brasil (CSPB) e Nova Central Sindical do Trabalhadores (NCST). O objetivo da campanha é esclarecer a população e conquistar cada vez mais apoio contra a PEC 287. A intenção também é pressionar os deputados federais a partir de seus Estado de origem, por isso as Centrais Sindicais no Maranhão também estão organizando vigílias nos aeroportos do Estado para abordar os deputados e pedir apoio contra a PEC 287.

Cada servidor do Judiciário também pode fazer ajudar. Abaixo segue uma lista com os e-mails dos deputados da bancada maranhense na Câmara Federal. Escreva para eles e peça para que votem contra a PEC 287.

Alberto Filho (PMDB) - suplente - [email protected]

Aluísio Mendes (PTN) - [email protected]

André Fufuca (PP) - [email protected]

Cleber Verde (PRB) - [email protected]

Deoclides Macedo (PDT) - suplente - [email protected]

Eliziane Gama (PPS) - [email protected]

Hildo Rocha (PMDB) - [email protected]

João Marcelo Souza (PMDB) - [email protected]

José Reinaldo (PSB) - [email protected]

Junior Marreca (PEN) - [email protected]

Juscelino Filho (DEM) - [email protected]

Luana Costa (PSB) - [email protected]

Pedro Fernandes (PTB) - [email protected]

Rubens Pereira Júnior (PCdoB) - [email protected]

Victor Mendes (PSD) - [email protected]

Waldir Maranhão (PP) - [email protected]

Weverton Rocha (PDT) - [email protected]

Zé Carlos (PT) - [email protected]
Versão para Impressão