Sindjus-MA pede a Esmam que oferte curso de Defesa Pessoal para oficiais e comissários de justiça

9/02/2018 | 13:08 - matéria visualizada 660 vezes
O presidente do Sindjus-MA, Aníbal Lins; o secretário-geral da Esmam, Arthur Darub, e a secretária executiva do Sindjus-MA, Edi Rocha

O presidente do Sindjus-MA, Aníbal Lins, reuniu-se nesta quinta-feira (8) com o secretário-geral da Escola Superior da Magistratura do Estado do Maranhão (Esmam), Arthur Darub. O objetivo foi apresentar requerimento para a inclusão do curso de Defesa Pessoal no Cumprimento de Diligências Judiciais na grade de cursos oferecidos pela Esmam em 2018. Ano passado o curso foi disponibilizado para os oficiais de justiça das Comarcas da Região Metropolitana de São Luís, e também de Caxias e Imperatriz, iniciativa que foi bem avaliada pelos servidores.

O cumprimento de ordens judiciais muitas vezes envolve perigo. A comissária de justiça da Infância e Juventude Digelda Costa Sousa, que atua na Vara da Infância e Juventude de Imperatriz, conta que fiscaliza bares à noite e festas. Quando são encontradas irregularidades, responsáveis pelos estabelecimentos são detidos. “Há comissárias que foram agredidas, nós somos ameaçadas, eu já fui ameaçada. Então o curso é importante porque o nosso trabalho é perigoso. A gente fica muito exposto”, afirmou.

O curso é voltado para a segurança no cumprimento das ordens judiciais, conhecimento necessário no dia a dia dos comissários e também dos oficiais de justiça. Ao receber o pedido do Sindjus-MA, o secretário-geral da Esmam, Arthur Darub, informou que levaria requerimento ao diretor da Esmam, desembargador Paulo Velten, que decidirá sobre a disponibilização ou não do curso.

Darub destacou que a proposta de criar uma turma conjunta de oficiais de justiça e comissários em São Luís, com instrutor também da Capital, e com apoio do Sindjus-MA, pode ser a mais viável. “O Sindjus-MA colocou-se à disposição para convocar, inscrever e até mesmo ajudar no alojamento de pessoas que viriam de Comarcas do interior para São Luís. Então essa possibilidade facilita a realização do curso. Tudo vai ser apresentado ao diretor da Esmam”, disse.

“Nosso pedido, na verdade, é para formar uma parceria com Esmam para que haja continuidade na oferta do curso de Defesa Pessoal e levá-lo às demais comarcas que ainda não foram contempladas”, afirmou o presidente do Sindjus-MA, Aníbal Lins.
Versão para Impressão