Vitória da categoria: deputados aprovam reposição salarial de 5% para o Judiciário

29/06/2018 | 07:13 - matéria visualizada 384 vezes
Esta quinta-feira (28) entra para a história da luta pelos direitos dos serventuários como a data em que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, em votação simbólica após acordo de lideranças, o Projeto de Lei (PL) 1.024/2015, que determina a reposição salarial de 5% para a categoria.

O texto foi aprovado em uma sessão marcada pela forte presença de servidores do Poder Judiciário do estado e de integrantes da diretoria do Sindjustiça-RJ. “Essa conquista é fruto da mobilização organizada pelo sindicato nos últimos meses e prontamente aderida pela categoria”, afirma a diretora de organização político-sindical do Sindjustiça-RJ, Ana Paula do Couto Alves.

Por acordo entre os parlamentares, o percentual valerá a partir do dia 1º de setembro de 2018. Os serventuários estão sem reajuste desde 2014.

Histórico de luta

Logo que assumiu a gestão do sindicato, em janeiro de 2018, a atual diretoria tomou para si uma missão que já prometia ser um grande desafio: retirar o PL 1.024/2015 da gaveta após quase três anos e garantir que os serventuários recuperassem parte da perda inflacionária do período.

A conjuntura era muito complexa, principalmente quanto às contas do Rio de Janeiro, que seguem em contenção como parte do projeto de recuperação financeira do estado.

Ao longo dos últimos meses, o trabalho foi intenso. Foram dezenas de visitas feitas a comarcas em todo o estado; reuniões com deputados de diversos partidos e com a presidência do TJ; e atos e manifestações na Alerj, que só surtiram efeito na pressão pela aprovação do projeto graças à articulação de toda a categoria.

Depois de todas essas ações, o texto finalmente entrou na pauta de votação dos deputados na última terça-feira (26). Uma proposta de emenda do deputado Marcos Abrahão (Avante) impediu a votação naquele dia. O debate foi retomado neste dia 28 de junho e o projeto de lei foi finalmente aprovado.

Para o diretor de base das regionais norte e noroeste, Décio Nascimento Guimarães, o resultado mostra o poder da união dos servidores e a importância da categoria atender ao chamado para a luta. “Se finalmente alcançamos nosso objetivo hoje, foi porque nos organizamos, pressionamos, não cedemos e mostramos a força da organização coletiva. Esse é o impacto de uma frente de resistência engajada na luta por direitos”, afirmou.

A diretoria do Sindjustiça-RJ também garante aos serventuários que a mobilização não acaba por aí. O sindicato continuará lutando pelos percentuais referentes aos anos de 2016, 2017 e 2018.

Fonte: Sindjustiça-RJ
Versão para Impressão