Núcleo Sindical dos Analistas discute atribuições do cargo em comarcas do interior do Estado

9/08/2018 | 20:41 - matéria visualizada 342 vezes
Analista judiciário de Imperatriz, Gilberth Sá Amorim
Já de posse de uma lista de demandas prioritárias definidas a partir de reuniões ocorridas em São Luís, durante o Seminário em Imperatriz, no último dia 4, o Núcleo Sindical dos Analistas Judiciários buscou contribuições específicas dos servidores da Região Tocantina. Foi discutida a necessidade de maior clareza sobre as atribuições do cargo, por especialidade, principalmente, em Comarcas do interior do Estado. Auxílio livro e acesso a sites especializados na Internet estão entre as demandas apontadas para melhorar a produtividade desses servidores. E também foram discutidos os critérios definidos pela Escola Superior de Magistratura do Maranhão (ESMAM) para a concessão de bolsa de estudos de pós-graduação. A próxima etapa do I Seminário dos Núcleos de Carreiras do Sindjus-MA será em Balsas, já no próximo sábado, dia 11 (Leia mais abaixo).

O analista administrador, Gilberth Sá Amorim, de Imperatriz, contou que participa das discussões do Núcleo via Internet e redes sociais por meio das quais são apresentadas sugestões para as várias especialidades do cargo. Nesse debate é consenso que as prioridades, de interesse também dos demais servidores da Justiça Estadual, são a reposição das perdas inflacionárias acumuladas em 16,7% e a aprovação do novo Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV).

Em relação ao desempenho da função de analista judiciário, foi debatido o acesso a informações técnicas que facilitariam o desenvolvimento das atividades diárias e que se tornou mais complicado a partir da política do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) de restrição de acessos a sites externos. “A gente começa a discutir algo que nos interessa mais especificamente, que é você ter o auxílio para a compra de livros e também links de acesso à internet. Porque a gente precisa fazer consultas em sites sobre a legislação, até para embasar processos que a gente estiver analisando. E se você não utilizar sua própria internet privada, do celular ou de algum outro meio, você acaba não tendo acesso a isso”, explicou.

Veja a entrevista em vídeo:



Outra demanda relativa ao aperfeiçoamento profissional é, na verdade, uma observação sobre os critérios definidos pela Escola Superior de Magistratura do Maranhão (Esmam) para concessão de bolsa de estudos de pós-graduação. Gilberth avalia que o edital traz restrições que favorecem servidores da Capital e da Comarca de Timon.

“A gente entende que foi pioneiro, mas o edital é muito restritivo, acaba contemplando só a comarca de São Luís e, talvez, a cidade de Timon, porque estabelece uma distância geográfica, mais ou menos duzentos quilômetros, para você ter acesso ao local onde você vai fazer seu curso de pós-graduação. Então, quem está lotado na Comarca de Imperatriz, ou outra que esteja acima desse limite definido no edital, não é contemplado, não pode participar. Isso é injusto porque o próprio servidor é quem tem que decidir se está disposto a enfrentar essa situação e se ele vai conseguir cumprir isso”, afirmou.

Outro ponto tratado foi a falta de definição, principalmente, em Comarcas do Interior do Estado, das atribuições do analista. Gilberth exemplificou a questão em relação à sua especialidade, administrador. Ele ponderou que o grande número de analistas da área administrativa está na Capital e que, talvez por isso, não há uma definição clara das atribuições do analista administrador nas Comarcas do Interior do Estado.

“Nas cidades do interior do Estado, no Continente, acho que praticamente só Imperatriz, Açailândia, que dispõem de Coordenação Administrativa. Timon, Caxias, cidades polos, possuem um grupo que vai trabalhar diretamente em apoio ao diretor do Fórum, na gestão dessa unidade. Só que não existe, pelo menos sistematicamente implementado, uma política de conversa com esse profissional que vai prestar essa assessoria, e com o próprio magistrado, que vai ser assessorado, para definir claramente quais são as atribuições que o servidor terá que desempenhar”, explicou.

Gilberth ressaltou, que mesmo diante de um universo pequeno de servidores, como no caso dos analistas administradores, é necessário que as atribuições da função estejam claramente definidas. “A gente tem que pensar nisso até para poder contribuir para a Administração do Fórum e o desenvolvimento das ações, da produtividade… Inclusive para a gente replicar ações, mesmo no caso específico do administrador, o desenvolvimento do planejamento estratégico, acompanhamento das metas, enfim, algo que pode ser melhor aproveitado”, afirmou.

Proposta unificada

Gilberth classificou aprovou a iniciativa do Sindjus-MA de promover a discussão específica das demandas por carreira do Poder Judiciário, por meio dos Núcleos Sindicas das Carreiras e a realização do I Seminário dos Núcleos levando o debate para as Comarcas do interior do Estado.

“A partir do momento que o Sindicato leva essa discussão para os polos, para as Comarcas, ele está dando possibilidade de que mais pessoas possam participar e possam contribuir, trazer particularidades para essa discussão geral, que já foi iniciada na Capital. A partir daí, o Sindicato tem elementos para unificar uma proposta que será apresentada para o Tribunal. Uma proposta assim, quando é discutida nas bases, acaba tendo mais efetividade”, afirmou.

I Seminário dos Núcleos de Carreiras continua em Balsas

A Segunda etapa do I Seminário dos Núcleos de Carreiras do Sindjus-MA será realizada na Comarca de Balsas, no próximo sábado (11). O local será o Auditório do Fórum da Justiça, na Avenida Jamildo, S/N, Potosi, em Balsas. O Seminário tem início às 8h30 e o almoço será servido na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB).

O evento é voltado a todos os servidores das Comarcas que integram a Regional de Balsas: Alto Parnaíba, Tasso Fragoso, Loreto, Mirador, São Raimundo das Mangabeiras, Grajaú, São João dos Patos, Barão de Grajaú, Buriti Bravo, Colinas, Paraibano, Pastos Bons, Passagem Franca, Riachão, São Domingos do Azeitão, São Francisco do Maranhão e Sucupira do Norte.

Em Balsas, o Seminário será aberto com palestra do analista judiciário, Pedro Davi Araújo da Silva, que é bacharel em Direito pela Unidade de Ensino Superior Dom Bosco (UNDB) e pós-graduado em Direito Processual Civil pelo Instituto Luiz Flávio Gomes. Pedro Davi também é secretário de Mobilização e Articulação Regional do Sindjus-MA, vice-presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST) no Maranhão e membro do Conselho Estadual do Trabalho (CONSET-MA).

 
Versão para Impressão