Núcleo dos Oficiais de Justiça discute atualização do custeio de diligências e providências em relação ao sistema do PJE

10/08/2018 | 11:17 - matéria visualizada 350 vezes
Oficial de justiça de João Lisboa, Antônio Nóbrega, e a oficiala de justiça de Imperatriz, Hermione Lopes.

Problemas no manuseio diário da interface do Processo Judicial Eletrônico (PJE) foi um ponto bastante discutido entre os servidores que participaram da reunião do Núcleo Sindical dos Oficiais de Justiça durante o I Seminário dos Núcleos das Carreiras, realizado no sábado passado (4), em Imperatriz. Outra demanda que foi listada entre as mais importantes para os servidores desse grupo é a atualização dos valores do custeio de diligência, que deveria ter ocorrido em janeiro, no início deste ano.

O oficial de justiça da Comarca de João Lisboa, Antônio Dantas Nóbrega, foi um dos servidores que participou do debate. Sobre o PJE, Antônio explicou que o sistema é confuso, o que vem atrapalhando o trabalho no dia a dia. “Uma prioridade é essa dificuldade que a gente está tendo em separar os mandados. Não tem nada que sinalize o mandado que é mais urgente”, exemplificou.

“O PJE vem dando problema já faz algum tempo. Nós já fomos atrás, em reunião com o diretor do Fórum, e não conseguimos ainda um resultado. Então o que está sendo proposto agora é que vamos tentar por essas demandas novamente para ver se agora resolve”, acrescentou a oficiala de justiça, Hermione de Souza Lopes.

Na relação de prioridades elencadas pelos oficiais de justiça estão ainda o custeio de diligência que deveria ter sido atualizado em janeiro; os valores do Plantão Noturno e Plantão Diário que, conforme os servidores, não vem sendo repassados adequadamente pelo TJMA; e segurança.

Veja a entrevista em vídeo:




“Tem a questão da segurança, porque a gente está diariamente na rua. Muitas vezes a gente não sabe com quem a gente está lidando. Às vezes você lida com criminosos, temos que ir em bairros perigosos. Então na questão da nossa segurança, o Tribunal peca muito, não dá apoio. A gente toma algumas precauções, mas é sempre perigoso, qualquer diligência pode acontecer algo de ruim com a gente”, afirmou Antônio.

Sindicalizar é importante

Os oficiais de justiça também aprovaram a criação dos Núcleos Sindicais das Carreiras para a discussão de demandas específicas de cada cargo do Poder Judiciário, assim como a busca a regionalização do debate por meio da realização do I Seminário dos Núcleos de Carreiras do Sindjus-MA.

“Eu achei louvável, muito importante essa reunião, esse conjunto que tivemos com as várias Comarcas. Porque assim, muitas pessoas souberam trazer os problemas de suas Comarcas. Eu sei que as pessoas têm problemas pessoais e não podem vir, mas aí a gente tem que colocar prioridade. O importante é você se juntar e tentar fazer alguma coisa, porque não adianta, a gente ficar falando, falando, reclamando, e não agir”, afirmou Hermione.

“Eu aconselho os colegas a comparecerem, porque a gente só vai saber a demanda de cada um, se ele for lá e falar. Se você ficar só calado no seu canto, reclamando, você não vai conseguir nada. Se a gente conseguir se unir e participar desses Núcleos, participar dos Seminários, a gente vai chegar a um consenso e ver o que é melhor para cada categoria”, acrescentou Antônio.

Os servidores falaram ainda da importância de ser filiado ao Sindjus-MA.

“Sem sindicalizar, sem união, a gente não consegue nada no Tribunal. Então tem que ter a união de várias pessoas, tem que ter um Sindicato quer possa falar pelos servidores”, afirmou Antônio.

“Eu sempre fui sindicalizada e é muito importante. Porque você tem que ter alguém para lutar pelos seus direitos. As conquistas que a gente já conseguiu, que todos já conseguiram até hoje, foram através de que? De Sindicato. Se não tiver o Sindicato, quem vai lutar por você!”, concluiu Hermione.

Próxima etapa do I Seminário dos Núcleos de Carreiras do Sindjus-MA é em Balsas. Saiba mais!
 
Versão para Impressão