Sindjus-MA conclama a categoria a participar da Pesquisa de Saúde no Judiciário que encerra nesta sexta-feira

6/12/2018 | 13:06 - matéria visualizada 145 vezes
Os servidores do poder judiciário só têm até esta sexta-feira (07) para participar da Pesquisa de Saúde disponível online que tem o objetivo de apontar os riscos psicossociais no ambiente de trabalho. O tema do material é “Sofrimento e adoecimento no trabalho do judiciário e MPU”. O estudo possibilitará a construção de uma base nacional de dados que dê suporte e formação aos sindicatos, a fim de capacitá-los na ação conjunta para elaboração de propostas junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A pesquisa é promovida pela Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados (Fenajud) a Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União (Fenajufe) em parceria com o Sindjus-MA e demais sindicatos de base filiados.

Acesse AQUI e participe

O estudo é coordenado pelo Laboratório de Psicodinâmica e Clínica do Trabalho da Universidade de Brasília (UnB) e tem como público-alvo os trabalhadores e trabalhadoras do judiciário federal, estadual e Ministério Público da União (MPU).

O conjunto de dados obtidos com o cruzamento das informações levantadas pelo Protocolo vai identificar as situações de assédio moral e possibilitar a construção de políticas que permitam combater a prática abusiva, a gestão autoritária e proporcionar um ambiente de trabalho com mais qualidade de vida.

O vice-presidente do Sindjus-MA, George Ferreira, pede que todos os servidores participem da pesquisa que embasará ações que visam melhorar a vida funcional do trabalhador da Justiça. “É importante que todos, independente de filiação, participem desta pesquisa, pois ela dará sustentação para intervenções das federações e também do Sindjus-MA junto ao TJMA e ao CNJ. Foi feito um investimento conjunto na pesquisa e agora o trabalhador precisa cooperar para apurarmos os resultados”, destacou.

A pesquisa

A pesquisa adota um protocolo composto por questionário que aborda quatro eixos: as relações de trabalho e o modelo de gestão adotado na unidade; questões relacionadas ao trabalho como reconhecimento e outros; valor do trabalho tanto para o servidor quanto para a instituição; e danos físicos, psicológicos e sociais causados aos trabalhadores.

O protocolo conta ainda com um questionário complementar que fornecem dados a partir do qual é possível identificar o perfil demográfico da categoria, assim como aspectos específicos.

Para participar, basta acessar o site www.pesquisajudiciario.net, aceitar os termos da pesquisa e responder o questionário clicando em uma das opções disponíveis em cada questão.
Versão para Impressão