Presidente do Sindjus-MA visita Comarca de Açailândia e recebe reclamações de adoecimento no ambiente de trabalho

4/10/2019 | 14:37 - matéria visualizada 480 vezes
O presidente dos Sindjus-MA, Anibal Lins, se reuniu com os servidores da Comarca de Açailândia, onde se discutiu sobre Concurso de Remoção e Adoecimento no Ambiente de TrabalhoO presidente dos Sindjus-MA, Anibal Lins, em sua viagem à Região Tocantina, além de  Imperatriz, também visitou a Comarca de Açailândia. Lins se reuniu, nessa quinta-feira (03), com os servidores da comarca no Fórum de Açailândia onde foram discutidos vários assuntos, entre os presentes, principalmente sobre Concurso de Remoção, demanda de parte dos servidores. Entre os relatos dos trabalhadores, surgiu a preocupação com o estado de saúde dos servidores e a qualidade de vida no trabalho, e assim a necessidade de discutir as causas e possíveis soluções para o adoecimento no ambiente laboral. O diretor de Convênios do Sindjus-MA e auxiliar judiciário da Comarca de Açailândia, Jair Flavio Ferreira dos Santos, também acompanhou a reunião.
 
De acordo com o psicanalista Cledson Aires, técnico judiciário lotado na Comarca de Açailândia, que desenvolve um programa de combate a depressão, a saúde mental dos servidores é um tema que precisa ser visto como prioridade pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA). “Na Comarca de Açailândia, por exemplo, temos servidores apresentando transtornos de ansiedade que têm comprometido negativamente a qualidade de vida desses colegas, bem como a produtividade dos mesmos no exercício de suas atividades laborais”, destacou.
 
Cledson Aires coordena projeto S.O.S EmoçõesComo psicanalista, Cledson Aires coordena um projeto chamado S.O.S Emoções. É um grupo de apoio e orientação que tem como objetivo ajudar as pessoas a encontrarem o reequilíbrio para as suas emoções. “As reuniões, que acontecem todas as quartas-feiras, às 19h30 no salão da Comunidade Cristã Batista Nacional, os participantes têm liberdade para compartilhar suas experiências, traumas, medos, etc, sem o receio de serem estigmatizados. A entrada é gratuita e as reuniões são abertas a toda a sociedade”, informou o técnico que além de coordenar o S.OS. Emoções, ministra palestras em igrejas, escolas e empresas com temas referentes a stress, ansiedade, depressão, suicídio e outros.
 
Um dos casos delicados que chamou a atenção durante a reunião foi o do oficial de justiça Chrystian Belicha Pinheiro, que era lotado na Comarca de Sucupira do Norte e que depois foi agregada à Comarca de Mirador. Por interesse da administração, o servidor foi removido para a Comarca de Açailândia. Chrystian faz tratamento para ansiedade desde 2013, e após a remoção repentina, seu estado de saúde piorou devido a necessidade de ambientação em nova cidade e à maior distância, o que dificulta o deslocamento para se encontrar com à família.
 
Oficial de justiça Chrystian Pinheiro (de preto)“Eu trabalho o dia todo e à noite e finais de semana fico trancado em casa. A distância da minha família, que mora em São Luís, também é um problema. Não estou me eximindo das minhas responsabilidades, mas a remoção para cidades, relativamente mais próximas, iria melhorar meu problema de saúde, pois estaria mais perto da minha família”, revelou Chrystian Pinheiro que tenta remoção para a comarca de Santa Inês ou Bacabal.
 
Para o oficial de justiça Chrystian Pinheiro, a Divisão Psicossocial do Tribunal de Justiça do Maranhão poderia estar mais presente nas comarcas para conversar com os servidores, acompanhar seu estado emocional e conhecer suas necessidades. “É importante que esse trabalho, essa assistência, sejam dados no início, para que o problema não venha a se proliferar, para que o quadro de adoecimento do servidor não evolua”, apontou.
 
Acúmulo de processos físicos
 
Arquivo Morto abarrotado de processos na Comarca de AçailândiaDiferente da Comarca de Imperatriz, que recentemente teve os servidores transferidos do Anexo do Fórum para locais salubres e mais amplos, os servidores do Fórum de Açailândia estão convivendo também com o problema de falta de espaço porque foi criada uma vara, agregada ao prédio, mas os processos ainda não foram digitalizados. O Arquivo Morto está abarrotado, alocado em uma sala.
 
“Existe a necessidade de virtualização dos processos para dinamizar e agilizar o trabalho dos servidores. Isso já seria um grande ganho na execução dos trabalhos”, ressaltou o presidente dos Sindjus-MA, Anibal Lins.
A virtualização dos processos dinamizaria o trabalho na comarca










 
Adoecimento no Ambiente de Trabalho na Comarca de Açailândia
 
Após o presidente do Sindjus-MA, Aníbal Lins, ouvir sobre os relatos de comprometimento da saúde entre os servidores da Comarca de Açailândia foi formada uma comissão composta pelo diretor de Convênios do Sindjus-MA, Jair Flávio Santos; pelo psicanalista e técnico judiciário, Cledson Aires; e pelo oficial de justiça Chrystian Pinheiro; para no prazo de 30 dias, com o intermédio do Sindicato, chamar o Tribunal de Justiça do Maranhão a se reunir com os servidores e com os magistrados para tratar da questão do adoecimento no ambiente de trabalho.
 
“As queixas foram generalizadas, os servidores estão desmotivados, abatidos e deprimidos com diversos problemas, incluindo o distanciamento da família. Eles clamam pelo concurso de remoção, que atualmente oferece um número de vagas menor que o total de vagas existentes, e isso têm gerado insatisfação entre os servidores. Eles também estão desmotivados porque o Tribunal não tem implementado uma política de valorização das carreiras como é o desejo da categoria há muito tempo, através da revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos”, alertou Aníbal Lins.
 
O Sindjus-MA pretende chamar o Tribunal de Justiça do Maranhão a fazer uma inspeção extraordinária na Comarca de Açailândia para checar a situação do adoecimento no ambiente de trabalho. “Vamos levar esse problema ao desembargador João Santana que é o presidente da Comissão de Saúde do Tribunal de Justiça do Maranhão para que ele nos ajude a fazer essa mediação com a administração”, relatou Lins.
 
Assim que a reunião com o desembargador João Santana for marcada para tratar do assunto, será convocada a comissão de servidores, formada em Açailândia, juntamente com o diretor de Saúde e Previdência do Sindjus-MA, José Ribamar Araújo, e com a assessoria jurídica para ver como conduzir da melhor maneira possível uma solução para o problema que foi apontado como sendo o mais preocupante entre os servidores daquela comarca.
 
“Estamos cumprindo assim a nossa prerrogativa constitucional de assistir, defender e proteger todos os trabalhadores do Poder Judiciário do Maranhão. Essa é a nossa missão e dela não nos furtaremos jamais”, concluiu presidente do Sindjus-MA.


Versão para Impressão