Servidores do TJ-RJ anunciam greve do trabalho presencial a partir do dia 29

28/06/2020 | 17:16 - matéria visualizada 296 vezes

Depois de uma tentativa de negociação frustrada entre os servidores do Judiciário e o Tribunal de Justiça do Rio, a categoria resolveu entrar em greve do trabalho presencial, a partir do dia 29 de junho, data prevista para início da reabertura gradual dos prédios do TJ.

O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Rio (Sindjustiça-RJ), explicou que tentou negociar com a administração sobre as reivindicações da categoria para que a saúde dos servidores fosse preservada da Covid-19 com o trabalho remoto, já que na primeira fase da abertura gradual, não haverá atendimento ao público. A decisão pela greve foi tirada em assembleias dos serventuários realizadas entre os dias 20 e 24 de junho.

Os servidores vão manter os trabalhos em home office e os atendimentos emergenciais, como já estavam fazendo desde o início das medidas estabelecidas de isolamento social. O O Sindjustiça-RJ ratificou que a produtividade do trabalho do TJ aumentou no formato de home office.

"Essa medida extrema é pela preservação da vida dos serventuários e de seus familiares e para que estes servidores não se tornem possíveis vetores de transmissão para a população", afirmou a entidade em nota.

Em nota, o Tribunal de Justiça do Rio disse que Sindjustiça-RJ entrou com ação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com pedido de liminar para impugnar o Ato Normativo Conjunto 25/2020, que trata do plano de retorno programado das atividades presenciais do Judiciário. Segundo o TJ, o pedido do sindicado foi indeferido e o CNJ determinou a elaboração de um manual de segurança sanitária.

"O CNJ indeferiu o pedido e determinou que o TJRJ elabore um manual de biossegurança, que já está sendo elaborado para apresentação em 48 horas".

Fonte: Jornal Extra
Versão para Impressão