Conselheiro fiscal do Sindjus-MA que já teve Covid-19 duas vezes pede prioridade na vacinação para servidores da Justiça em Pinheiro

10/06/2021 | 15:27 - matéria visualizada 406 vezes
José Ribamar Araújo, o sec. de Governo e Articulação Política de Pinheiro, Alessandro Montenegro, e Patrícia Coqueiro

O conselheiro fiscal do Sindjus-MA, José Ribamar Pacheco Araújo, que já teve Covid-19 duas vezes, e a representante regional do Sindicato, Patrícia Nunes Coqueiro, protocolaram na manhã desta quinta-feira (10) requerimento ao prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, para a inclusão dos servidores da Justiça Estadual, lotados naquela comarca, no grupo prioritário do Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19.

Tanto o conselheiro fiscal quanto a representante regional são auxiliares judiciários em Pinheiro. Patrícia Coqueiro avalia que a inclusão dos servidores da Justiça na prioridade da vacinação não é a concessão de um privilégio, mas sim o reconhecimento de que esses servidores fazem parte de um grupo de trabalhadores que prestam serviços essenciais à Sociedade, da mesma forma que bancários, trabalhadores dos Correios, Caema e Equatorial, os quais já foram incluídos na prioridade da vacinação Plano Municipal de Vacinação de Pinheiro.

“Mesmo com a disponibilização de meios eletrônicos para atendimento, existe muita procura pelo atendimento presencial nas unidades do Poder Judiciário e até uma certa cobrança da Sociedade pelo nosso retorno em 100%. Os jurisdicionados, em sua maioria absoluta, não entende que continuamos trabalhando em casa, outra parte não dispõem de meios (quer seja material ou intelectual) para entrar em contato por meio das ferramentas eletrônicas, assim como não sabem dos nossos gastos com energia e internet banda larga de qualidade, sem nenhuma ajuda por parte do Tribunal”, explica Patrícia Coqueiro.

José Ribamar Araújo destaca a exposição dos servidores, principalmente dos oficiais de justiça, que precisam cumprir mandados presencialmente, e de servidores lotados nas Varas Criminais, onde é inevitável o trabalho presencial. Ele mesmo já foi infectado pelo novo coronavírus duas vezes.

“Nem todo servidor está trabalhando remotamente. Servidores que não tem o PJe [Processo Judicial Eletrônico] instalado mantém contato direto com testemunhas que precisam ir aos Fóruns, porque não detém equipamentos ou internet para fazer audiências por videoconferência. No meu caso, durante toda Pandemia, só parei de trabalhar para me tratar de Covid-19. Já fui infectado duas vezes. Ou seja, apesar de exercemos uma função notoriamente essencial e de estarmos expostos ao vírus, somos uma classe negligenciada… Não fomos priorizados”, afirmou.

José Ribamar Araújo faz parte das estatísticas do novo coronavírus no Poder Judiciário do Maranhão. Dados da Divisão de Saúde do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) apontam que a incidência de Covid-19, no período de março de 2020 a março de 2021 causou 15 óbitos de servidores e 676 afastamentos entre servidores e magistrados.

O requerimento do Sindjus-MA considera ainda os dados ainda preocupantes da Secretaria de Estado da Saúde que apontam alta taxa de ocupação das unidades hospitalares, principalmente, dos leitos de UTIs, em todo o Estado. Além de protocolado, o pedido foi entregue diretamente ao secretário de Governo e Articulação Política da Prefeitura de Pinheiro, Alessandro Montenegro.

“Nosso pedido busca a preservação da vida desses servidores que continuam sua luta diária em permanente exposição ao risco de contaminação, dada a natureza de suas atividades. A inclusão dos servidores do Judiciário Maranhense na prioridade da vacinação é medida necessária à preservação da vida e proteção desses servidores, bem como à manutenção da prestação jurisdicional, enquanto atividade essencial para a Sociedade”, afirmou o presidente do Sindjus-MA, George Ferreira.

Veja o pedido na íntegra
Versão para Impressão